Segunda semana em Mysore, bem mais adaptada, sabendo me virar sozinha em algumas ocasiões como negociar o melhor preço para o riksha ou barganhar nas compras do mercado central…
Esta semana foi bem tranquila, pois tive “Ladies Holiday”(período menstrual) e a lua cheia. Nos três primeiros dias do clico não se pratica, como também nos dias de lua cheia e nova. São dias propícios para relaxar e realizar outras atividades.
Aproveitei no sábado para conhecer um Templo Tibetano na cidade Bylakuppe. Eu e mais duas pessoas alugamos um taxi  para nos levar e acompanhar no percusso da viagem. Foi apenas 1 h e 15 ate chegar ate la, bem rapidinho. Nesta cidade, vivem os refugiados do Tibet e foram construídos templos magníficos onde vivem os monges. Muitos monges vão para la apenas para estudo e depois de um tempo de aprendizado, regressam para sua cidade. O Golden Temple e magnífico e lindo! Fico impressionada com beleza e grandiosidades destes lugares. Esse e o templo mais visitado e neste dia era feriado na Índia e havia muita gente. A 2 km dali, existe outro templo que estava fechado para visitantes. Chegando la, conseguimos a permissão de conhecer o local. Foi um momento único, pois estavam somente nos três dentro do templo e alguns monges que cantavam numa sala ao lado. Uma paz profunda se instalou e meditamos por algum tempo.
Na volta para Mysore, paramos no vilarejo local da cidade onde estava acontecendo alguma festa tradicional. Tinham muitas luzes, musica e muitos indianos reunidos. Todos nos olhavam, pois éramos bem diferentes. Os indianos são muito receptivos e logo nos chamaram para festa. Vi-me no meio de todos ali de pés descalços sem saber exatamente o que significava aquilo. Depois constatei que era uma cerimônia de iniciação espiritual. Meninos bem pequenos vestiam apenas um pano branco e sentavam-se um por um na roda para receber as bênçãos dos sacerdotes.
Alguns indianos mais descolados e moderninhos nos chamaram para visitar o templo da cidade. Eles queriam ser nossos amigos… Na India tudo e uma bagunça organizada, ate dentro do templo tinha tumulto, mas tudo sempre acaba bem. Saudamos todas as deidades do templo e recebemos as bênçãos do sacerdote . Tive muita satisfação muito grande de estar ali num lugar tao simples, bem diferente dos templos tibetanos, mais cheio de energia.
Na quarta-feira seguinte tivemos o dia de lua cheia e todos aproveitaram para dormir um pouco mais e curtir o dia ócio. Eu preferi ficar tranqüila sem viagens, aproveitar para descansar, tomar sol e ler.
 As vezes parece estranho tudo isso, como estar aqui para praticar, estudar e não fazer”nada”. Estamos sempre acostumados a fazer algo, mas não fazer “nada” e uma pratica bem preciosa. Sair um pouco do automático, refletir sobre a vida e observar tudo melhor a nossa volta. Na correria do dia-a-dia acabamos nos esquecendo das coisas mais simples e importantes da vida.
Aqui vou seguindo e aprendendo a cada dia com as minhas praticas diárias que estão a cada dia melhores e consistentes. Continuo feliz praticando a Primeira Serie, sem prentensoes de nada, deixando que tudo venha no momento certo e no fluxo natural. A pratica por si so já e tão rica e intensa que percebemos os seus reais efeitos quando deixamos o tapetinho secando no varal. Toda aquela energia adquirida vai se refletir em nossos atos e pensamentos . Isto e a verdadeira pratica de Yoga!   
                                                                                                             
                                                                                                             Namaste!

                    

Pin It on Pinterest

Share This